Ame-se. Esse é o alicerce.

20160306_111949.jpg

Às vezes parece ser mais fácil dizer ‘eu te amo’ do que ‘eu me amo’. Porque dizer ‘eu te amo’ requer apenas que olhemos os outros. E é tão mais fácil enxergar o umbigo do outro… Amar-se pressupõe aceitar-se. Aceitar-se com as qualidades, defeitos, manias, desejos. Amar-se requer olhar pra dentro, encarar nossos medos, reconhecer nossas limitações, lidar também com o nosso lado sombrio. É um papo reto com a gente mesmo. Dá aflição pensar num papo assim. Dá preguiça. É como tirar o pó debaixo do tapete. Pra que? Ninguém vê ele lá. Mas sente, sabe que ele está lá. Ignorá-lo dificultará a limpeza mais tarde. Amar-se requer descobrir-se.  Descobrir-se requer sair da zona de conforto. Requer respeitar-se. Perdoar-se. Talvez reinventar-se.  E porque, não?

Li no blog* de um querido amigo: “O que podemos descobrir sobre nós mesmos e nossa verdade?“ Qual o nosso propósito. Creio que não há receita nem fórmula mágica para essa descoberta pessoal. Mas há meios. Estou descobrindo os meus… É como tirar o esparadrapo da ferida, alguns preferem segurar a respiração e arrancar num único impulso, outros preferem ir aos poucos, cuidando para não tirar mais do que o necessário.  Penso que o exercício de amar-se começa aí, conhecendo seus limites, respeitando seu tempo e reconhecendo a melhor trilha para essa descoberta.

Tenho percorrido esse caminho e confesso que lido melhor se tirar o esparadrapo aos poucos. O Universo vai ajudando, é só a gente saber o que quer. Só! Volto com a palavra “propósito”… Penso que a companhia dos amigos (não vale aqueles do tapinha nas costas) que conhecem a nossa história e estão dispostos a colaborar com os próximos capítulos, a meditação, aquele papinho com Deus, a visita a lugares que nos remetem à paz… Tudo isso nos fortalece, tudo isso ajuda a aliviar possíveis desconfortos da retirada do esparadrapo. É um caminhar que tem pedras, flores, dores, amores e muita colaboração. Só consigo ver o mundo com cooperativismo.  

Estou encontrando vários potes de ouro no decorrer desse caminho. O sorriso puro de uma criança, a saúde da família, novos projetos que fazem a diferença na vida das pessoas, sentir a brisa do mar, o café com um amigo, o cafuné do bichinho de estimação, um texto que desperta algo em quem eu nem conheço pessoalmente, que desperta algo em mim. Tem muito ouro! É preciso sensibilidade para essas descobertas, é preciso coragem para encara-las. Um mundo melhor precisa de amor. Comecemos por nós mesmos. Ame-se. Esse é o alicerce. Já dizia um conhecido nosso.

“Ame-se. Esse deveria ser o mandamento fundamental. Ame-se. Tudo o mais se seguirá, mas esse é o alicerce.” Osho

* http://www.marcelodalla.com/

 

MF, 07/03/2015.

 

 

 

 

2 thoughts on “Ame-se. Esse é o alicerce.

  1. Texto profundo, leve e verdadeiro. Pensamentos que comungo e que a cada dia se tornam mais vitais em minha vida.
    Parabéns, Magda, por nos brindar com reflexões tão maduras e oportunas.
    Gratidão!

    Gostar

    • Sonia querida, sou grata por saber que vc comunga de pensamentos semelhantes. Isso reforça minha crença de que “somos todos uno”. Gratidão também!
      Ps.: está ficando linda a sua arte do “viralatinha mais lindo do Sul do mundo”!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.