A Rua Com Nome do Meu Avô <3

11745538_10153534501614809_1035266404954961641_n

Sempre tive curiosidade em saber a história das pessoas que se tornam nomes de ruas. Alguns nomes são célebres da história do nosso país, do mundo. E os demais?

Recebi essa foto no final da tarde de hoje logo após essa placa ter sido colocada na praia de Itajuba, município de Barra Velha, SC. Chorei muito! Chorei de alegria, de emoção, de orgulho, de saudade… Plácido Manoel de Freitas é pai do meu pai, meu avô amado!

Homem simples, sorridente, estiloso. Lembro dele vestindo calça social, camisa social e kichute!!! Generoso, agregador (sempre recebendo alguém para tomar café, almoçar, jantar… ano novo na casa dele era casa cheia de gente que eu não conhecia), das “antiga” (vi muitas vezes minha avó lavando os pés dele), gostava de um baile que só ele (acabo de reconhecer donde vem minha queda por Carnaval… sim, eu pulei todas as noites de Carnaval dos 15 aos 35 anos, então me aposentei, rs… esses dias pensei “nem meu pai nem minha mãe gostam de carnaval, por quem puxei?”, acabo de saber a resposta).

Ele tinha um comércio de “secos e molhados” no estilo que alguns barzinhos hoje tentam imitar e que, provavelmente, ainda existe em varias cidades do nosso país. Tinha vários bichos, muitos filhos e incontáveis histórias de pescador. Depois do seu último derrame, era difícil entender ele falar, mas ele continuava contando suas histórias e estórias, ria de si mesmo… Acabávamos rindo todos!

Não vou saber contar detalhes de tudo que ele fez pela sua comunidade, pela sua cidade, mas sei o que ele fez por mim. Quantas férias, quantas festas eu passei com ele. Homem de fé, rezava o terço e benzia os netos. Colocava um espelho no fundo da sua casa (aqueles de bordinha laranja, sabe?) e lá fazia a barba; no reflexo do espelho, seu rosto e o mar de Itajuba). Olhava o mar e dizia “maré enche, maré vaza”; qualquer analogia com a nossa vida não é mera coincidência, não é mesmo? Era uma alegria vê-lo sorrindo chegando à beira da praia com seu barquinho. Ano novo, depois da meia noite, carregava os netos para pular ondas. Meu Deus, eu faço isso até hoje!

Difícil continuar escrevendo… A emoção é grande… Mas redigindo esse post, estou reconhecendo quanto dele há em mim. Muita gratidão, meu avo! Quero conseguir transmitir seus valores por onde eu passar… Sei que você e a vó, junto com alguns primos e tia, estão comemorando a placa com o seu nome, aí no céu… Te amo, muita saudade. ❤

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.